5 Décadas & 5 Gerações de Evolução do Implante Mamário – Perturbado por Motiva®

Blog Post 26 de março de 2021 post.reading-time

Desde seu início em meados da década de 1960, a cirurgia com implantes mamários de silicone preenchidos com gel é um dos procedimentos estéticos mais realizados no mundo; ainda assim, os implantes foram relativamente pouco melhorados pelos principais fabricantes nos últimos 50 anos.

1ª Geração

Embora os implantes mamários existam desde o final do século XIX, não eram feitos de silicone ou soro fisiológico até aos anos 60. Os materiais anteriormente utilizados incluíram marfim, vidro, cartilagem de boi, borracha moída, e poliéster.

Injeções com silicone em bruto e líquido foram recebidas por cerca de 50.000 mulheres antes que os cirurgiões e fabricantes se apercebessem de que o silicone precisava de ser alojado em conchas de barreira para impedir a sua entrada na corrente sanguínea e causar efeitos secundários desastrosos.

Em 1961, os cirurgiões plásticos americanos Frank Gerow e Thomas Cronin, em parceria com a Dow Corning Corporation, produziram o primeiro implante mamário de silicone com enchimento de gel, que foi utilizado pela primeira vez cirurgicamente no ano seguinte.

Esta primeira geração de implantes mamários de silicone caracterizavam-se por manchas Dacron (feitas de uma forma sintética de poliéster), conchas espessas (aproximadamente 0,25 mm), e gel de silicone espesso e viscoso.

Tornando-se rapidamente popular apesar da controvérsia em torno da prática da mamoplastia de aumento, esta geração inicial foi fabricada até ao início dos anos 70 e foi frequentemente associada à contractura capsular (ou seja, a formação de uma cápsula dura e fibrosa que contrai o implante em si mesma) e à ruptura do implante.

2nd Generation

A segunda geração foi introduzida uma década após a primeira, com as conchas dos implantes diluídas a quase metade da sua espessura e os géis mais finos, mais líquidos, usados para dar aos implantes uma sensação mais suave. Mas estas alterações, juntamente com a paragem do uso de adesivos Dacron, não ajudaram a abordar as altas taxas de contratura capsular.

3ª Geração

Os conchas espessas e reforçadas com sílica (cujos gostos ainda se podem encontrar na quarta e quinta gerações) caracterizam esta geração nas tentativas dos fabricantes de tornar os implantes mamários mais fortes. Infelizmente, o gel mais fino e xaroposo que era utilizado como enchimento sangraria muito mais para a corrente sanguínea quando estas conchas ficassem comprometidas.

Esta geração foi marcada pela controvérsia e medo em torno do uso de implantes mamários de silicone durante as décadas de 80 e 90.

Em 1992, a FDA dos EUA apelou a uma moratória sobre os implantes mamários de gel de silicone devido a preocupações de que esta geração representava um risco para a saúde maior do que se pensava anteriormente. Esta moratória acabou por se manter em vigor até 2006, quando a FDA aprovou uma quarta geração de implantes de “gel reactivo” de silicone.

PIP, um grande fabricante francês de implantes, também se envolveu num escândalo proeminente e acabou por ser liquidado em 2010 devido à sua utilização de gel de silicone não-médico, não aprovado.

4ª e 5ª Gerações

Não é coincidência abordarmos simultaneamente a quarta e quinta gerações, pois as únicas alterações significativas que anunciaram estavam relacionadas com a coesão do gel de silicone.

Nos anos 90, as conchas foram ainda mais reforçadas, e foram utilizadas versões mais coesas de gel de silicone para minimizar complicações relacionadas com fugas de gel. Como estas moléculas de gel de silicone reticulado retêm a sua forma (mantendo a sua forma mesmo quando cortadas), não é provável que esse enchimento “sangre” ou escorra se a concha se decompuser.

A quarta geração está associada aos implantes em gel com resposta que a FDA eliminou em 2006 (o que é mais comum nos implantes redondos e tem uma coesão moderada), enquanto que a quinta geração está associada aos géis mais estáveis em forma que caracterizam os implantes de “gomas de urso”. Os implantes estáveis de forma altamente coesiva são tipicamente feitos em forma de lágrima ou anatómica, com maior plenitude do pólo inferior e um pólo superior inclinado.

Mas a estabilidade da forma do “urso de goma” provou ser tanto uma bênção como uma maldição, uma vez que os pacientes se queixaram de que os implantes da 5ª geração parecem e sentem-se rígidos e não naturais, especialmente quando deitados.

6th Generation Motiva Implants®

Felizmente, os implantes de silicone actualmente disponíveis na maioria dos grandes fabricantes não são muito diferentes das versões vendidas nos anos 90. Contractura capsular, ruptura, seromas, e mesmo cancro associado ao implante mamário (conhecido como linfoma anaplásico de grandes células, ou simplesmente BIA-ALCL) continuam a ser problemas que afectam os receptores de implantes mamários.

Reconhecendo esta complacência da indústria na segurança dos implantes, o Establishment Labs® adoptou uma abordagem centrada no paciente no desenvolvimento e incorporação de tecnologias revolucionárias na sua Motiva® produtos para maximizar tanto a segurança como os resultados estéticos.

MOTIVA IMPLANTS® possuem várias características patenteadas, as primeiras do seu género, que perturbaram a indústria de implantes mamários. Cada característica foi incorporada para minimizar as preocupações de segurança que os fabricantes de implantes anteriores e actuais não conseguiram resolver adequadamente. Estas incluem:

  • BLUSEAL®: um indicador visual que permite confirmar a 100% que uma camada de barreira está intacta, para minimizar quaisquer riscos de hemorragia de gel
  • QID®: um sistema de microtransponder RFID passivo para rastreabilidade não invasiva e imediata e verificação de informações sobre implantes, incluindo a potencial recolha
  • ERGONOMIX®: Estes Implantes Motiva premium® são fabricados com ProgressiveGelTM Ultima, um gel de silicone proprietário que proporciona o aspecto, a sensação E o movimento mais naturais, quer o paciente esteja de pé, em movimento, ou deitado
  • TRUEMONOBLOC®: Foi dada especial atenção ao fornecimento de todos os Implantes Motiva® com resistência à tracção uniforme (ou seja, desempenho igual sob tensão em qualquer ponto do implante) através da ligação química do gel do implante, do invólucro e do adesivo – assim, são concebidos para evitar a ruptura do implante

A Breve Nota sobre Implantes Salinos

Os implantes salinos foram introduzidos pela primeira vez no mercado dos implantes mamários em 1964. Enquanto os primeiros implantes salinos foram associados a altas taxas de deflação, as modificações de concepção das suas conchas permitiram um atraso significativo no momento em que uma eventual deflação pode ocorrer. Tornaram-se brevemente mais populares no mercado norte-americano como alternativa aos implantes preenchidos com silicone durante a moratória da FDA entre 1992 e 2006. Actualmente, no entanto, os implantes de gel de silicone compreendem a maioria dos dispositivos utilizados na cirurgia de aumento dos seios, devido à eficácia clínica e segurança dos modelos de nova geração, bem como à deflação inevitável dos implantes salinos. Os implantes de gel de silicone são também muito mais populares entre as pacientes devido ao seu aspecto e toque significativamente mais natural.

Para saber mais sobre o Motiva® gama, sinta-se à vontade para navegar OUR WEBSITE, contacte a MOTIVAIMAGINE CENTER® OR PARTNER SURGEON/CLINIC, ou contacte-nos DIRECTLY.

*Motiva Implantes® não estão disponíveis para venda nos EUA e Canadá.

404

Não foram encontrados resultados

A página que solicitou não pôde ser encontrada. Use o botão abaixo ou a navegação para voltar ao caminho.

Esta informação destina-se a ser utilizada apenas por profissionais de saúde. Os profissionais de saúde devem confiar sempre no seu próprio julgamento clínico ao decidir se um determinado produto deve ser utilizado no tratamento de um determinado paciente. Motiva® não fornece conselhos médicos e recomenda que os profissionais de saúde sejam formados na utilização de um determinado produto antes de este ser utilizado num procedimento ou cirurgia. Antes de utilizar um produto Motiva®, os profissionais de saúde devem sempre ler a bula, o rótulo do produto e/ou as instruções de utilização. A informação aqui apresentada destina-se a ilustrar certos produtos e a amplitude da oferta de produtos Motiva®‘s. Os produtos podem não estar disponíveis em todos os mercados, uma vez que a disponibilidade de produtos depende das práticas regulamentares e/ou médicas de cada mercado. Por favor contacte o seu representante local se tiver quaisquer perguntas sobre a disponibilidade de produtos específicos na sua região. Motiva® os produtos com a marca CE são rotulados de acordo com os regulamentos e directivas da UE aplicáveis.